fbpx
Abril Verde

Abril Verde: conscientização evita mortes e acidentes do trabalho

Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional (SSO)

Abril Verde, Campanha do Ministério Público, pretende educar ainda mais a população sobre o número de vítimas de acidentes do trabalho, que cresce a cada ano.

Atualizado em 27.04.2020

Os gastos com auxílio-doença acidentário aumentaram no país e, desde 2012, acumulam mais de R$93,7 bilhões de reais.

No mesmo período, foram mais de 417 milhões de dias de trabalho perdidos, de acordo com o Observatório Digital de Saúde e Segurança.

Esses são dados alarmantes que reforçam a importância da campanha do Abril Verde, lançada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).

Com o tema “Por um Brasil sem doenças e acidentes do trabalho”, o MPT pretende realizar ações integradas durante o mês de abril e alcançar mais instituições parceiras para conscientizar a sociedade sobre a necessidade de prevenção.

Isso, já que entre os 150 mil relatos de acidentes, 585 são de vítimas fatais, segundo o Smartlab, Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho.

Mas o que é o Movimento Abril Verde?

O técnico em Segurança do Trabalho José Nivaldo Barbosa de Sousa, juntamente com a engenheira de Segurança do Trabalho Maria Aparecida Rodrigues Estrela, idealizaram o Abril Verde.

O Abril verde é o mês dedicado a prevenção dos acidentes do trabalho e adoecimento ocupacional.

Foi idealizado em 2014, tornando a cidade de João Pessoa pioneira através da Lei nº 12.814/2014, de autoria do então vereador Ubiratan Pereira, Bira (PSD).

A campanha dos anos anteriores conseguiu atingir mais de 30 mil pessoas nas redes sociais somente no mês de abril.

O intuito é que a cada ano a mobilização seja maior, principalmente com a ajuda dos órgãos governamentais, empresas, associações, federações e a sociedade civil.

As ações planejadas para o Abril Verde contemplam grande parte dos estados brasileiros, com eventos, palestras, apresentações, exibição de vídeos sobre conscientização e práticas de segurança e saúde do trabalhador em espaços públicos e privados.

Entenda a gravidade do tema

De acordo com estudos feitos em anos anteriores pela OTI (Organização Internacional do Trabalho), cerca de dois milhões de pessoas morrem anualmente por acidentes e doenças de trabalho no mundo e mais de 300 milhões ficam feridas.

Ainda segundo os dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, com parceria da OIT, um em cada sete acidentes é relatado oficialmente, pois os estudos oficiais compreendem apenas os trabalhadores formais.

E o emprego informal vem crescendo nos últimos anos com mais de 589 mil novas vagas sem carteira de trabalho assinada.

Segue abaixo as categorias com mais relatos de acidentes de trabalho, listados pelo estudo:

  • Atividades de atendimento hospitalar – 378.305;
  • Comércio varejista de mercadorias em geral, predominantemente de produtos alimentícios – 142.909;
  • Administração pública em geral – 119.273;
  • Construção de edifícios 104.646.

Curiosidades sobre a data

O mês de abril foi escolhido pelo movimento, pois no dia 28 é celebrado o “Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho” em todo o mundo.

Essa data foi instituída por sindicatos canadenses para homenagear as vítimas de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos EUA, em 1969.

No Brasil, essa comemoração foi reconhecida em 2005, pela Lei No. 11.121.

*Por Ingrid Stockler e Tatyanne Werneck

Ius Natura © 2019. Todos os direitos reservados.