A aplicação da ergonomia em setores de telemarketing, frigorífico e hospitalar

Sem categoria

A aplicação da ergonomia é democrática e sua implementação pode e deve ocorrer em variados setores. 

É muito comum ouvirmos sobre a aplicação de processos ergonômicos em segmentos como o agronegócio, construção civil, home office, setor de  limpeza e setor de indústrias, mas não podemos limitar as aplicações apenas a essas esferas. 

No artigo de hoje, aprofundamos um pouco mais sobre a importância da ergonomia no setor de telemarketing, setor hospitalar e de frigoríficos. Confira!

Se você quer entender com mais detalhes o que é a ergonomia, clique AQUI!

Aplicação da ergonomia no setor de telemarketing

O setor de telemarketing sempre foi muito polêmico no que se refere a saúde e segurança do trabalhador. 

Com grande relevância para inúmeras empresas que buscam o serviço de venda ou um suporte, para fazer a fidelização ou a retenção, entre outras situações, os profissionais que atuam nesse ramo são importantíssimos para a economia e o fluxo de funcionamento e crescimento de uma empresa. 

Para a execução de uma atividade de telemarketing, é necessário alguns recursos técnicos, como o uso de headset, computadores, suporte de mão, e apoio de pés. 

No entanto, o investimento em aparelhos técnicos não é suficiente para garantir um bom desempenho dos operadores de call center. É necessário que além dos ítens mencionados, alguns recursos de saúde e segurança ocupacional devem ser aplicados. Sendo eles:

Ambiente adequado com a aplicação da ergonomia

Para um ambiente de trabalho adequado conforme a ergonomia, devemos nos atentar aos seguintes pontos:

  • Luminosidade adequada de maneira que o monitor não apresente pontos ofuscados nem reflexos que prejudiquem a visualização das informações;
  • Distância de aproximadamente 1,5 m² ao redor da estação de atendimento deve ser respeitado a fim de garantir que os ruídos do ambiente não atrapalhem as ligações;
  • Uso de ar-condicionado com a manutenção periódica para evitar problemas respiratórios.

Ginástica laboral

A ginástica laboral é uma excelente aliada na jornada de trabalho dos operadores.

Os exercícios laborais conduzidos por profissionais capacitados ajudam a aliviar tensões e prevenir desvios de posturas e futuros problemas osteomusculares.

Além das ginásticas, exercícios diários feitos pelos colaboradores, como movimentar a cabeça para os lados de tempos em tempos, alongar e esticar os braços para cima e para os lados, fazer movimentos com as mãos para baixo e para cima e girar os punhos, contribuem para a prevenção de lesão e a promoção da saúde.

Aplicação da ergonomia – Alongamento

Pausas regulares

Durante a aplicação da ergonomia no setor de telemarketing, as paradas regulares durante a jornada de trabalho estão previstas em lei e são essenciais para que o operador possa se recompor física e psicologicamente.

Para trabalhadores que possuem jornada de trabalho de 8 horas, o colaborador deve desfrutar de dois períodos de 10 minutos contínuos fora do posto de trabalho, sendo a primeira pausa depois de 1 hora do início do expediente e a segunda, antes dos 60 minutos finais da jornada de trabalho.

Quais os problemas a ausência da aplicação da ergonomia no setor de telemarketing pode apresentar?

Quando não há uma aplicação de ergonomia alinhada é possível encontrar deficiências específicas no ambiente de trabalho. No caso do telemarketing, empresas que não possuem processos ergonômicos bem aplicados, costumam ter colaboradores que apresentam algumas lesões recorrentes. Por exemplo:

Lesões por esforço repetitivo (LER)

A lesão por esforço repetitivo é um dos mais comuns distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Em 2019, aproximadamente 39 mil trabalhadores foram afastados de suas atividades em razão da LER. A lesão, pode ser desencadeada por postura física inadequada, falta de pausas durante a jornada de trabalho, sobrecarga de atividades e falta de instrução e ferramentas adequadas para prevenir a lesão. 

Alterações posturais

Lesões, desvios de postura e problemas no pescoço, na coluna, na lombar, no joelho e no tornozelo, são sinais da falta de aplicação de processos ergonômicos no serviço de telemarketing. Por passar muito tempo sentado, e por vezes com a mobília incorreta no que se refere a altura e distância dos equipamentos, contribuem para os problemas físicos dos colaboradores. 

Perda auditiva induzida pelo ruído (PAIR)

A perda auditiva também configura o quadro de doenças oriundas de uma má gestão ergonômica no setor de telemarketing. Ruídos com volume elevado, headsets de má qualidade, infecções auriculares decorrentes de protetores sujos ou do compartilhamento do equipamento com outros operadores podem contribuir para a perda auditiva dos operadores.

NR 17 e ergonomia de telemarketing

A Ius Natura, preparou um e-Book que aborda as diretrizes da NR 17 no telemarketing. Para conferir basta clicar AQUI!

Aplicação da e rgonomia no setor de frigoríficos

O setor frigorífico é um dos segmentos que necessita de processos ergonômicos bem aplicados e bem alinhados para garantir a saúde e segurança do trabalhador.

As atividades deste setor, envolvem movimentos repetitivos, uso de objetos cortantes, manuseio de cargas pesadas e temperatura de refrigeração elevada. 

A NR 17 é a norma regulamentadora que dispõe sobre as diretrizes da ergonomia, enquanto a NR 36 alude sobre saúde e segurança do trabalho em empresas de abate e processamentos de carnes e derivados.

Análise Ergonômica em frigoríficos

A Análise Ergonômica do Trabalho (AET) é uma demanda obrigatória em toda empresa frigorífica conforme dispõe o item 36.15 da NR 36. Vejamos algumas soluções para adequar o setor frigorifíco aos processos ergonômicos :

Mobília adequada 

O mobiliário deve atender às questões antropométricas de 95% dos trabalhadores, visando sempre prevenir os desvios de posturas. Vale reforçar, que não basta apenas adequar altura da mobília, mas fazer isso com o material de INOX que é o adequado para este tipo de empreendimento. 

Os profissionais que trabalham em pé, devem executar suas funções com espaço suficiente entre as mesas e com barras de apoio para os pés. Trabalhadores que exercem atividades sentados, devem possuir assentos ergonômicos e de fácil regulagem.

As áreas de alcance devem ser respeitadas e a mesa de desossa dos frigoríficos deve ter a profundidade grande e a área de alcance horizontal de 70cm. Atividades que envolvem manuseio de peças frequentemente devem ser de 41 cm. Para as tarefas que não são rotineiras, a medida será de 50cm.

Aplicação da ergnomia nos transporte de cargas em frigoríficos

  • O peso máximo que o trabalhador poderá manusear é de 10 mil quilos/dia;
  • Sempre que possível, a empresa deverá realizar a redução da do transporte de cargas feito por colaboradores;
  • Quando não for possível a redução, deverá diminuir o tempo de exposição do trabalhador ao risco, rotacionando as atividades. 

Tamanho dos animais e processos ergonômicos

Observar o tamanho dos animais faz parte da de um processo ergonômico bem aplicado. Afinal, não seria correto  ter uma plataforma para animais de variados portes, isso porque, uma novilha e um touro possuem alturas, pesos e medidas bem diferentes.

A diferença dos animais influencia na altura que o funcionário ficará na plataforma para realizar os cortes e manuseios da carne. Dessa forma, o mais inteligente e correto a fazer, é ter uma plataforma possível de regular conforme o tamanho do animal.

Temperatura adequada conforme aplicação da ergonomia

Por ser um ambiente refrigerado, a aplicação da ergonomia em frigoríficos, dispõe que a temperatura dos frigoríficos deve ser de 15 a 12 para menos. A baixa temperatura do ambiente, pode gerar a vasoconstrição, lentidão do metabolismo, queda da sensibilidade e destreza para algumas tarefas, falta de energia e tensão muscular.

A norma cita também a necessidade da empresa analisar a qualidade do ar adequando a climatização conforme orienta o Ministério da Saúde. 

Diante disso, é importante frisar que a cada uma hora e quarenta minutos de trabalho em ambientes refrigerados, o colaborador deve ter 20 minutos de intervalo em um ambiente climatizado para realizar as chamadas pausas térmicas

Além das pausas térmicas, também deverão ser realizadas as pausas psicofisiológica que devem durar no mínimo 10 minutos e no máximo 20 minutos. Vejamos o tempo de cada pausa para cada tempo de jornada:

  • Jornada de 6h de trabalho, 20 minutos total de pausa;
  • Jornada de7h20 de trabalho, 45 minutos total de pausa

Aplicação da ergonomia no ramo hospitalar

A ergonomia hospitalar, é muito desafiadora, pois em sua lida os processos ergonômicos devem alcançar não só a rotina dos profissionais dos hospitais no trato com os pacientes, quanto também nas estruturas arquitetônicas que os hospitais oferecem.

Ou seja, os profissionais de saúde precisam estar devidamente treinados e capacitados a manusear um paciente de for manual, quanto deverão também usar das estruturas hospitalares de maneira que não prejudique as condições físicas dos funcionários em razão do manuseio de macas, aparelhos e outros objetos de peso. 

Amparado pela NR 32, alguns pontos devem ser observados para que a ergonomia promova a verdadeira saúde e segurança dos trabalhadores hospitalares. Para uma aplicação da ergonomia de forma adequada, podemos levar em consideração as dicas do parágrafo abaixo.

Formas de aplicação da ergonomia em hospitais 

Realizar os ajustes nos ambientes e nos equipamentos

Buscar alternativas de aparelhos para que o manuseio de pacientes seja substituído do manual para o manuseio elétrico. Dessa forma, mudar o paciente de maca, carregá-lo para cadeiras de rodas, sentá-lo em poltronas de coletas de exames, entre outros movimentos, pode ser facilitado com o auxílio de equipamentos elétricos que consiga mudar a altura, a inclinação e a locomoção do paciente. 

Para ações em que equipamentos elétricos não contribuam para a execução da função, alternativas que facilitem a pega e a estabilidade dos profissionais da saúde e dos pacientes são recursos que evitam lesões por peso ou mau jeito dos profissionais. 

Ginástica laboral

Já citada neste artigo, a ginástica laboral é uma excelente aliada para manter a saúde física dos colaboradores e pode ser realizada no próprio ambiente em que o profissional se encontra.

A ginástica laboral auxilia na capacidade motora e fortalece pontos do corpo que são sobrecarregados durante o trabalho.

Pausas regulares

Quando falamos de pausas hospitalares, devemos observar cada núcleo  das equipes de atendimento, as pausas regulares durante o trabalho são importantes para controlar o estresse oriundo da sobrecarga de plantões, cirurgias e emergências, além disso, ajuda a evitar os riscos de erros e acidentes durante o atendimento médico.

Gestão ergonômica hospitalar

A gestão ergonômica dos hospitais devem serguir seis passos para uma boa execução. Ou seja, o profissional ergonomista, que seguir atentamente cada um desses passos, conseguirá entregar ao hosital, uma boa análise capaz de promover as reais melhorias ao ambiente hospitalar e aos profissionais desse segmento. Os passos são:

  • 1 – Apresentação dos resultados da AET para gerência.
  • 2 – Treinamento ergonômico
  • 3 – Aquisição de equipamentos de soluções ergonômicas para o manuseio de paciente
  • 4 – Implementação das soluções ergonômicas
  • 5 – Validação de soluções ergonômicas para funcionários 
  • 6 – Atualização das análises ergonômicas

No artigo de hoje, trouxemos três areas de aplicação da ergonômia. A Ius Natura preparou um e-Book obre as alterações da NR 17, norma regulamentadora que trata sobre a ergonomia, para se atualizar sobre este tema, você pode baixar seu material gratuitamente, clicando AQUI!

Ficou alguma dúvida sobre este tema? Deixe nos comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ius Natura © 2022. Todos os direitos reservados.