Dia Internacional da Biodiversidade

Meio Ambiente

No dia 22/05 é comemorado o Dia Internacional da Biodiversidade! A data foi criada pela ONU em 1992, com o objetivo de conscientizar as pessoas em relação à importância da biodiversidade e da sua preservação.

Mas o que é a biodiversidade?

Biodiversidade diz respeito à variedade de formas de vida, de espécies, seja animal ou vegetal, e que podemos encontrar em vários ambientes (marítimo, terrestre e por aí vai). Ou seja, a riqueza de um ecossistema.

Ela diz respeito ao número de espécies e da variedade de espécies de uma regiao, além da variedade dentro das espécies (diversidade genética), entre elas e entre os ecossistemas.

Mas você sabe por que a conservação da biodiversidade é tão importante?

A variedade das espécies é fundamental para a conservação dos ecossistemas do planeta, já que ela facilita a circulação de nutrientes dentro e fora dele. Resultando em um meio ambiente equilibrado e beneficiando aqueles que nele vivem e dele subsistem.

Cada espécie cumpre o seu papel dentro do ecossistema que está inserida, já que todas elas relacionam-se entre si e com o ambiente.

Por isso, esta data existe para que reflitamos sobre a importância de um meio ambiente equilibrado e para que as atividades da nossa sociedade possam causar menos danos aos ecossistemas do nosso planeta. 

A biodiversidade do Brasil

Você sabia que o Brasil é o país com a maior biodiversidade do planeta terra?! Isso quer dizer que 20% de todas as espécies do planeta terra encontradas em ambientes terrestres e aquáticos vivem aqui! Não é maravilhoso?! Mas com grandes poderes vêm grandes responsabilidades e isso requer uma atenção especial em nosso cenário. 

Conheça alguns dados da nossa biodiversidade:

Segundo o IBGE, foram catalogadas os seguintes dados em relação às espécieis:

  • Flora: 46.000 espécies;
  • Insetos: 90 – 120 mil espécies (o que representa 10% de toda a diversidade de insetos do mundo);
  • Peixes: 4.388 (é a maior diversidade do mundo!)
  • Aves: 1.924
  • Anfíbios: maior diversidade deste grupo
  • Mamíferos: 720
  • Sociobiodiversidade: mais de 200 povos indígenas, quilombolas, seringueiros, pescadores, caiçaras, agricultores, dentre tantos outros.

Algumas espécies endêmicas do Brasil: 

As espécies endêmicas são aquelas que são únicas de uma área ou região. E o Brasil, que possui biomas tão diversos, apresenta várias delas em cada um deles. 

Por isso, resolvemos listar algumas delas, para que você conheça o quão precioso é aquilo que é especialmente nosso!

Plantas: 

Pela variedade de ambientes que a sua geografia proporciona, o Brasil é campeão em número de espécies de plantas endêmicas. No total, 56 mil espécies são únicas das terras brasileiras! Você conhece alguma? Vejamos abaixo algumas delas que selecionamos: 

  • Jaboticaba (Myrciaria jaboticaba);
  • Pequi (Caryocar brasiliense);
  • Ipês (espécies do gênero Tabebuia e Handroanthus);
  • Pata de Vaca (Bauhinia variegata);
  • Jacarandá de Minas (Jacaranda Cuspidifolia); 
  • Sibipiruna (Caesalpinia Peltophoroides);
  • Manacá da Serra (Tibouchina mutabilis);
  • Chuva de Ouro (Lophantera lactescens);

Animais: 

  • Mico Leão-Dourado (Leontopithecus rosalia);
  • Ararajuba (Guaruba guarouba);
  • Tatu-bola (Tolypeutes tricinctus);
  • Arara-Azul-de-Lear (Anodorhynchus leari);
  • Ouriço-preto (Chaetomys subspinosus) – muito ameaçado;
  • Boana Atlântica (Hypsiboas atlanticus); 
  • Soldadinho-do-Araripe (Antilophia bokermanni);
  • Guariba de mãos ruivas (Alouatta belzebul);

Ameaças: 

A preocupação com a proteção ambiental no Brasil não existe à toa. Desde 2019, o Brasil vem quebrando recordes de desmatamento em diversos de seus biomas, sendo a Amazônia a que mais rapidamente vem sendo degradada. Segundo o Ipam, nos últimos 4 anos, a taxa de desmatamento do bioma cresceu 56,6% em relação aos 4 anos anteriores. 

O desmatamento da Amazônia ganha destaque, principalmente, na mídia internacional. E nada mais justo, já que o bioma abriga 15% da biodiversidade do planeta.

Entretanto, infelizmente, todos os nossos outros biomas do nosso país, estão sendo igualmente ameaçados. Já falamos sobre dois outros biomas brasileiros, que são Caatinga e o Pantanal! Vale a leitura!

Esse desastroso cenário ocorre devido à diversas ações, ou no caso omissões, do poder público ao atender aos chamados do Ibama. Houve também severa redução na verba destinada ao órgão responsável pelo combate aos crimes contra o Meio Ambiente, o Ibama. 

Uma outra atividade que é carro-chefe desse extrativismo desenfreado, que tem como consequência a contaminação dos recursos naturais, é o garimpo ilegal. Não só a biodiversidade é ameaçada com esse tipo de atividade, que é potencial poluidora e de alto risco, mas também os povos indígenas que subsistem da floresta. Segundo pesquisas, entre 2010 e 2020, tal prática cresceu 495% nas terras indígenas. 

Além disso, a ocorrência é expressiva e está em absurdo crescimento nas terras dos povos Yanomamis. Recentemente, crimes bárbaros envolvendo garimpeiros e os povos Yanomamis foram reportados por ONGs e comunicadores.

Além das medidas de sustentabilidade, de redução da emissão de gases poluentes, de reflorestamento, fiscalização, dentre tantas outras já conhecidas por nós, o controle em relação à exploração, queimadas, desmatamento e atividades ilegais, em terras indígenas, é apontado como medida essencial, para mantermos o meio ambiente equilibrado e conservarmos a nossa biodiversidade.

Preservar não é somente um ato de uma via: para que seja feito o desenvolvimento sustentável de uma região é necessário envolver a comunidade em seu entorno, gerando desenvolvimento e integrando-a aos projetos. Somos parte fundamental nessa corrente de mudança que deve – melhor, que terá de – acontecer em breve, se quisermos acreditar num futuro neste planeta.

Esperança: 

Felizmente, a comunidade acadêmica, instituições públicas, empresas com políticas de preservação sérias e milhares de voluntários têm ao longo dos anos lutado bravamente para desenvolver e sustentar inúmeras iniciativas de proteção ao meio ambiente. A seguir, apresentaremos algumas delas (todas com envolvimento do ICMBio): 

  • Projeto Nacional de Ações Integradas Público-Privadas para a Biodiversidade, conhecido como PROBIO II: 

O projeto foi executado entre os anos de 2009 e 2014 e teve o apoio de diversos organismos públicos, indo desde o Ministério da Agricultura à Embrapa. O principal financiador do projeto foi o Global Environmental Facility (GEF), juntamente com o Banco Mundial. Saiba mais sobre o projeto aqui.

  • Projeto Manguezais do Brasil:

Os Manguezais são para a natureza o equivalente a um oásis. Os Manguezais são ecossistemas ricos em nutrientes e que fornecem à maioria das espécies de peixe, crustáceos e alguns moluscos o local ideal para a postura de ovos e do desenvolvimento de seus filhotes. 

Infelizmente, por conta da associação dos Manguezais à sujeira e à proliferação de doenças, os Manguezais foram em grande parte aterrados para a construção de empreendimentos imobiliários ou suprimidos, em total dissonância com as boas práticas de proteção ambiental. O Projeto Manguezais do Brasil foi criado pelo Ministério do Meio Ambiente e é executado pelo ICMBio, o que demonstra mais uma vez a importância desse instituto para a preservação no Brasil. 

  • Programas de Cativeiro: 

Os Programas de Cativeiro de Espécies Ameaçadas (Instrução Normativa nº 22, de 27 de março de 2012) são fundamentais na definição, coordenação e implementação de estratégias de conservação ex situ para recuperação da população e diversificação genética de espécies de acordo com as diretrizes e ações previstas nos Planos de Ação Nacional para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção – PANs elaborados e pelo ICMBio.

Como você pode começar a contribuir para a preservação da Biodiversidade: 

Existem várias formas de ajudar nessa causa que é de todos nós! Uma delas, que é uma das mais importantes, é usar o seu poder do voto para mudar a composição política do parlamento (na câmara e no senado), mas também nas esferas estadual e municipal. 

Portanto, dê preferência a candidatos que possuam em seu plano de governo políticas claras de meio ambiente, com fundamentação técnica e com envolvimento da comunidade. Será somente com essa atitude perante ao poder público que poderemos demonstrar os interesses da sociedade por políticas ambientais eficientes.  

Se você possui investimentos ou deseja investir seu dinheiro, busque por empresas que tenham a certificação de gestão ambiental ou que possuam políticas ambientais efetivas, e não somente aquele habitual (e sintético) marketing ambiental. Invista em projetos que deixarão um legado ambiental para as futuras gerações e para o planeta, afinal, o destino dos seus recursos faz toda a diferença para a preservação. 

Uma outra dica que parece muito simples e que é fundamental: prefira alimentos de origem orgânica comprovada. Existem nos mercados diversos produtos com selo de “produto orgânico” em sua embalagem, mas é preciso ler o rótulo para as especificações.

Outra opção são as feiras de produtores rurais, que geralmente acontecem nos bairros, as cestas de produtos orgânicos e a divulgação dessas iniciativas para que mais gente possa investir num modelo de negócio sustentável. 

São iniciativas assim, miúdas e grandiosas, que causam grande impacto e nos fazem mudar a nossa cultura e nossos hábitos, em prol do meio ambiente!

-Escrito por Davi Maia e Júlia Balsamão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ius Natura © 2022. Todos os direitos reservados.