fbpx

Gestão preventiva de exigências legais abre fronteiras para o agronegócio

Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional (SSO)

Por Bruna Simão – Advogada – Ius Natura 

Os índices de produção e exportação de carnes e demais produtos derivados da atividade pecuária alcançaram excelentes patamares nos últimos anos no Brasil. Podemos afirmar que isso se deve, dentre outros fatores, à melhora na qualidade do sistema produtivo interno, à necessidade de atender à crescente demanda por alimentos saudáveis e à adoção do conceito de produção ambientalmente sustentável. Ainda assim, há muito o que fazer.

Mesmo com as incontáveis novas tecnologias à disposição, o sistema de produção agropecuária não consegue se manter sustentável sem a gestão ambiental da propriedade, sem a adequada criação e manejo dos pastos, tanto no âmbito sanitário, como zootécnico e reprodutivo, sem adequar as instalações e, sobretudo, sem a gestão profissionalizada do empreendimento rural do ponto de vista econômico, financeiro, social e legal.

Neste contexto mostra-se de fundamental importância a adoção das chamadas “boas práticas agropecuárias” além do monitoramento e atendimento da legislação aplicável que contribuem para que a crescente produção de alimentos ambientalmente sustentáveis consiga ser escoada em mercados antes inalcançáveis.

A adoção destes princípios faz com que um número cada vez maior de empresas brasileiras atenda as imposições de organismos reguladores internacionais e as diferentes exigências internas e externas relacionadas à qualidade do produto e impactos gerados por ele, além de colocar o país no seleto grupo de produtores mundialmente reconhecidos pelo comprometimento com a saúde dos consumidores, o bem-estar de seus colaboradores, a preservação ambiental e a responsabilidade social.

A implementação voluntária destas boas práticas e do atendimento às leis permite identificar e controlar os principais fatores que influenciam o processo de produção, tornando-o seguro, atrativo e competitivo.  A redução do desperdício de matérias-primas e do próprio produto final também é consequência benéfica da adoção deste processo. Para isso, faz-se necessário que os diferentes elos da cadeia se empenhem em absorver estes conceitos e consigam atender todas as novas demandas em tempo hábil.

Na próxima semana, a Ius Natura publicará uma série de conteúdos informativos visando destacar a importância do atendimento à legislação dentro da estratégia de ampliação da participação da indústria brasileira do agronegócio no mercado mundial. Boa parte da indústria nacional já percebeu que os investimentos em gestão preventiva, principalmente no que tange ao atendimento das exigências legais e de mercado, garantem a abertura de novas e promissoras fronteiras de negócios.

Ius Natura © 2019. Todos os direitos reservados.