Educação Ambiental

Qual o seu papel na Educação Ambiental?

Geral

Neste artigo, vamos discutir sobre o conceito de Educação Ambiental, o que diz a legislação brasileira sobre o tema e como ele é trabalhado academicamente no país.
______________________________________________________________________________________________________________________________________

Você conhece a origem do termo “educação ambiental”? Nós te contamos agora 🙂

Em 1975, ocorreu o Congresso de Belgrado, na Iugoslávia, que foi promovido pela UNESCO, a fim de formular princípios para estabelecer um programa de Educação Ambiental.

O encontro originou a Carta de Belgrado, um documento considerado um marco histórico para o fortalecimento das questões ambientais, que conceitua Educação Ambiental.

A carta declara que ao promover a educação ambiental, o cidadão possui a oportunidade de desenvolver uma conscientização a respeito das questões ambientais.

O objetivo é formar uma população com conhecimentos e competências necessárias para engajar no trabalho individual e coletivo para a resolução dos problemas atuais do meio ambiente.

Educação ambiental na legislação 

A Educação Ambiental está prevista na Politica Nacional de Educação Ambiental, a Lei nº 9795/99, que compreende a importância e necessidade dela estar integrada na educação nacional, em todas as modalidades do currículo educativo.

De acordo com o art. 1º, Educação Ambiental é:

Entendem-se por educação ambiental os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade.

Pode-se entender desta matéria a necessidade de relacionar a questão ambiental com as práticas sociais de uma forma integrada, respeitando as singularidades regionais.

E, considerando o artigo 225 da Constituição Federal, todos têm direito à educação ambiental e ao meio ambiente ecologicamente equilibrado. E ainda no inciso VI:

promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente

Importância da Educação Ambiental

Como abordamos no início deste artigo, a importância da educação ambiental atrela seus princípios ecológicos com seus objetivos, que é conscientizar o cidadão sobre o meio ambiente em que vive. Assim, a educação ambiental aumenta as práticas sustentáveis no dia a dia para reduzir os danos ambientais.

Portanto, integrar a conscientização ambiental no cotidiano do cidadão vai promover mudanças comportamentais.

E quando mais precoce for essa integração, melhor! O ideal seria inserir a educação ambiental desde os primeiros anos de ensino de uma criança, por meio de atividades ao ar livre, nas quais a criança possa ter contato direto com o meio ambiente, com o plantio de plantas, legumes, até o ensino metodológico nas salas de aula.

Já no ensino superior, temas dessa atualidade tem crescido, com diversos cursos de graduação e pós-graduação.

O ingresso da questão ambiental em cursos superiores e técnicos significa uma preocupação do mercado de trabalho em capacitar profissionais para o planejamento e gerenciamento das questões ambientais, relacionando o meio ambiente com questões econômico-tecnológicas e sociais.

Confira abaixo a lista com 5 cursos superiores que estudam o meio ambiente:

  • Gestão Ambiental: esse curso prepara o aluno para diagnosticar problemas e propor melhorias participando de projetos ambientais, levando em consideração o desenvolvimento sustentável;
  • Educação Ambiental: curso EaD (Ensino a distância) de curta duração do Senai;
  • Engenharia Ambiental: curso com duração de 5 anos, prepara o aluno com disciplinas relacionadas à Engenharia, Ecologia e até Economia, para atuação direta com o meio ambiente, desenvolvendo projetos para minimizar os danos ambientais e maximizar os lucros da atividade humana de maneira sustentável;
  • Ciências Socioambientais: esse curso visa formar profissionais para elaborar, analisar e executar projetos ligados ao meio ambiente, levando em consideração questões sociais, culturais, históricas e políticas das relações entre sociedades e o ecológico;
  • Geociências e Educação Ambiental: o aluno estuda a dinâmica interna e externa do planeta, de forma geral, considerando a interação entre geosfera, biosfera, hidrosfera e atmosfera.

Porém, acreditamos que a educação ambiental não deve estar atrelada como responsabilidade inerente à escola ou universidade. Ela deve ser construída de forma coletiva, com a participação e construção de todos os cidadãos de uma sociedade.

E claro, os formadores de opinião têm papel fundamental para tal construção, sejam eles educadores, pais, gestores de empresas e atores políticos. Uma vez que a mudança cultural se dá por ações locais que estão conectadas com o global, e vice-versa.

Como empreendimentos podem promover a educação ambiental?

De acordo com a Instrução Normativa do Ibama, nº 2/12, são estabelecidos diretrizes para elaborar, implantar e monitorar programas de educação ambiental que devem ser desenvolvidos por empreendimentos que possuam atividades causadoras de impactos ambientais.

São eles:

  • Programa de Educação Ambiental (PEA), que é direcionado aos grupos sociais impactados pelas atividades do empreendimento;
  • Programa de Educação Ambiental dos Trabalhadores (PEAT), que é voltado para os recursos humanos envolvidos direta ou indiretamente nas atividades do empreendimento.

O PEA estimula o empreendimento a ser envolver com os grupos sociais das suas áreas de influência com maior vulnerabilidade socioambiental. É importante a troca de experiências, pois a comunidade precisa ser informada sobre como evitar ou reduzir os impactos socioambientais dos empreendimentos locais.

Dessa forma, a elaboração do Plano de Educação Ambiental acontece a partir do Diagnóstico Socioambiental Participativo, fundamentado em metodologias participativas, que visa mobilizar as responsabilidades sociais e os grupos impactados pelas atividades licenciadas.

Já o desenvolvimento do PEAT salienta a participação dos trabalhadores na avaliação das implicações dos impactos e riscos socioambientais consequentes das suas atividades no meio ambiente.

É preciso constar no Programa de Educação Ambiental dos Trabalhadores os impactos socioambientais do empreendimento, integrados com os outros programas previstos no PCA (Programa de Controle Ambiental).

Com isso, acreditamos que a partir do diálogo, mobilização e conscientização, é possível construir uma sociedade educada ambientalmente, conectada a laços sustentáveis e empreendimentos sérios e conscientes.

*Feito por Ingrid Stockler – Colaboradora da Ius Natura

Ius Natura © 2019. Todos os direitos reservados.